sexta-feira, 21 de março de 2008

Entender.

Lá naqueles anos que se passaram, ficava imaginando o dia em que não pensara em mais nada.
Ficava pensando no dia em que tudo aquilo iria acabar. No momento em que iria olhar para fora e ver aquele luar que tanto gostava sem receio de lembrar, sem tentar fechar os olhos e não pensar em mais nada.
Ele levantava todos os dias somente por aquele motivo sem nexo, aquele motivo concreto.
Dizia:-"Levanto só por você. Isto me dá alegria só porque daqui a algumas horas vou te ver."
O tempo passava lentamente e a cada beijo tudo ficava azul. Não precisavam de mais nada além de um dia, além de uma hora, além de um segundo perto.
O que mais amava era o sorriso, o "tudo vai dar certo" fazia parte do dia-a-dia dela.
E eles dançavam, eles se olhavam, eles brigavam, eles se deixavam, eles se amavam. Eles se entregaram...Algo recíproco pela primeira vez era sentido.

Aquela chuva não era passageira. O cheiro da garoa não era mais tão bom.
O dia nascia e era igual.
Desaprendeu a sorrir de verdade.
Teve medo com toda a vontade.
E os dias não eram mais com aquela bondade.

Passou.
E foi embora, com aquele olhar doce e triste, nas noites em claro.

E entenderam o que era amar.

Nenhum comentário: