quinta-feira, 28 de abril de 2011

Mal meio.

Quando tudo começa bem de um final doloroso, você realmente sente um alivio de não ter que sentir mais aquilo.
Quando sua vida vira ao contrário e você não acha as luzes de saída é realmente doloroso. É realmente difícil você se lembrar de uma vida cheia de mentiras que você construiu para ser responsável e adulta o suficiente para cuidar, sustentar e carregar coisas de adulto quando se tem apenas 6 anos.

As pessoas que não conhecem gostam mais é de julgar: o tom de voz, a grosseria, a maturidade, o não-sorriso, a expressão séria, o profissionalismo, a vida. Sem ao menos saber o que realmente aconteceu pra que isso seja feito, pra que essa palavra seja palavra, pra que esse choro saia, pra que essa grosseria seja feita.

Talvez você possa ter perdido um amigo. Não somente um amigo, um melhor amigo, um amor, uma vida inteira pela frente, o Eric, o meu amigo, o meu amor, a minha felicidade. Eu o perdi pra o suicidio aos seus 18 anos. Ele não vai voltar, o pedaço da minha vida e do meu coração que partiu nunca vão ser substituídos. E a dor vai demorar anos pra passar. E não, ninguém vai entende-la.

Talvez você possa ter pais que não sabem muito o significado de dar amor, que não saibam como é seu filho. Como você é. Que você gosta de amor e não de materialismo. Que eu gosto que prestem atenção em mim e não me esqueçam na escola até as 22 horas da noite aos 4 anos por várias vezes. Ou que não gosta de violencia, de machucados, de dor, de falta de amor, de nenhuma atenção, de solidão por pais doentes fisicamente e mentalmente.

Talvez você possa ter amigos, talvez muitos amigos mesmo não parecendo. Que não te conhecem como você realmente é. Que você tem que sorrir acima de tudo. Que você ama incondicionalmente. Que eu procuro esconder tudo que é ruim dos mesmos para não trazer-lhes dor.

Talvez você possa ter vivido uma vida de mentiras, crescido sendo incompleta, com uma péssima formação de sentimentos, fria, calculista, sem coração, sem carinho. Talvez você possa ter cuidado de todos e nunca ter pedido nada em troca. Talvez você possa ter chorado inumeras vezes quieta. Talvez você possa ter rido milhares de vezes por felicidade e amor. Mas há decepções e há novas coisas que vêm para trazer alegria para sua alma. Você começa a ter só momentos ruins, a ter só decepções, a não ter retornos. Eu vivo uma vida difícil, um ano difícil, e naquele ano, a dor virou um coma de 3 dias em uma UTI em que a única coisa que você ouvia era 'Por que você deve acordar?'. As coisas não mudam, só com você. Você morre por dentro, morre no sorriso e morre no olhar. Seca nas palavras e fica vazia. Mas... Procure seus amigos verdadeiros, esses sim são poucos. Pocure fazer a ultima vez de todas as tentativas em melhorar com alguém, conversar com sua família, mudar, deixar, agarrar. Toma 7 comprimidos de remédios ao dia pra você não morrer do coração, de depressão, de anemia, de uma saúde que sumiu. De um estômago que morreu. De uma vida perdida e um recomeço que você tenta esconder de todos.

Por um recomeço ainda confuso.
Você precisa reconhecer-se, conhecer-se e formar-se pra enfim melhorar.
Pra viver.
Pra amar.
Não adianta se esconder.

Nenhum comentário: