sábado, 28 de julho de 2012

É assim que as coisas são, não são.


-Oi.
-Oi.
-...
-Tudo bem?
-Tudo.
Ela abaixa a cabeça, suas bochechas ficam rosadas. ela pensa que alguém como ele nunca vai notá-la, nunca vai desejá-la, nunca vai perceber que ela é uma linda mulher. Ela só queria ser a menina ruiva da rua de baixo para alguém.
-E você?
-Estou bem, cansada...
-... Me da um abraço?
Ele não demonstra nada, mas não sabe que esconde tudo no olhar. Ele se confunde no coração, mas ela o ama, e nunca ligou para indecisão dele. Ele se esforça, ele ás vezes esquece dela. Mas, quando ela menos espera, ele fala com ela, ele lembra dela.
Não sei se ele a ama, mas sei que ela o ama. Ele é o Charlie Brown dela.