domingo, 20 de abril de 2014

Apprivoise-moi.

"E eu esperarei por você." Foi o que você disse.

Cativar significa criar laços e criar laços significa cuidar, se importar, amar.

Eu não cuidei de você. Eu não abri meu coração para você. Eu te fiz chorar. Eu não segurei sua mão. Eu sujei seus sonhos e destruí suas memórias que ainda nem existiam.

Você cuidou de mim quando eu menos esperava. Você me envolveu nos seus braços quando eu mais precisei e foi quando eu mais sentia raiva do mundo.

Você me amou mesmo com meu medo. Com meu desprezo.
Você me enxergou sem o mínimo esforço.
Você enxergou em mim o meu melhor. E me quis, do jeito que eu sou.
Você me mostrou que a vida é bonita, que as palavras são doces se a gente quiser.
Você me fez amar de verdade.
Você mostrou que a vida é leve, é simples.
E toda vez que eu te joguei uma pedra, você veio para mim com um sorriso e uma flor.
E toda vez que eu te feri, você me amou.
Você fez por mim o que eu fiz por alguém um dia e não foi recíproco.

E hoje eu te amo de todo meu coração e alma. De lá de dentro, bem no fundo, onde ninguém mais chegou.


Você me ensinou a ser feliz novamente. E a felicidade com você brilhava.

Você me enaltecia, me transbordava.

As rotinas se tornavam um manual anti-monotonia. Todos os dias eram pra sonhar. Ao acordar eu sempre sorria. Eu nunca me sentia vazia. Você sempre estava do meu lado. Você sempre me iluminava. Você sempre me achava não importa o quanto eu estivesse perdida. Eu te quero para o resto da minha vida.


O que eu fiz?

Por que eu fiz?
Eu nunca quis te causar mal.
Eu nunca quis te magoar.
Eu estava cega. Desiludida. Desacreditada. Vazia.
Eu fui tola.
Errei.
Fiz.
Feri.
Eu posso, um dia, mostrar que eu mudei?

Eu o amo como a felicidade invisível das pessoas ao abraçarem quem amam, ao correrem por campos de flores, como uma risada inesperada, como um dia na praia, como seus olhos sob a luz da lua na beira da praia a noite, eu o amo como se pudesse passar o resto da vida com você. Como se mesmo se todas as estrelas do céu se apagassem eu ainda sim enxergaria um brilho no céu, como se o mundo inteiro decidisse amar ao mesmo tempo, como se as guerras tivessem fim, os recomeços fossem doces, os finais fossem todos felizes, a chuva fosse de chá verde, os dias ruins tivessem uma boa noite. Como se o mundo fosse feito para todos nós. Eu o amo como se eu soubesse que tudo iria dar certo, como se eu tivesse certeza que você fosse minha escolha. Mas você é, minha melhor escolha.


Hoje eu sinto raiva de mim mesma. Hoje eu tento me perdoar. Hoje eu tento controlar todos os sentimentos ruins que eu mesma causei.


Você despertou meu melhor.

Você me reergueu.
Você merece ser feliz. Escandalosamente feliz.

O essencial é invisível para os olhos. Só se vê bem com o coração.

O amor é a única coisa que cresce a medida que se reparte.
"E eu compreendi que não podia suportar a ideia de nunca mais escutar esse riso. Ele era para mim como uma fonte no deserto..."

Espero que um dia nós possamos dividir a vida novamente. A vida sempre foi boa com você. Você me ensinou coisas que eu não consigo dizer em palavras. Espero que um dia você possa me perdoar. Espero que você não queira deixar de me amar. E em segredo, não me esqueça. Espero que um dia seja o momento certo para nós dois ficarmos juntos de novo, que eu possa fazer parte das suas escolhas, porque você faz parte das minhas.

E eu aprendi, enfim, o que é amar. Obrigada. 
Eu te amo, de todo meu coração.



Um comentário:

Jonatas disse...

Imaginei eu mesmo escrevendo. Não que eu já tenha passado por isso, morro de medo de fazer algo que comprometa meu amor. Não é preciso conhecer para entender o sentimento nesse texto. Pra mim ele, seu texto, valeu como um relance de um futuro que posso me arrepender. Boa sorte na sua nova empreitada.