sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Tristes, tristes noites de sexta

“Eu tenho uma espécie de dever, dever de sonhar, de sonhar sempre, pois sendo mais do que um espectador de mim mesmo, eu tenho que ter o melhor espetáculo que posso. E assim me construo a ouro e sedas, em salas supostas, invento palco, cenário para viver o meu sonho entre luzes brandas e músicas invisíveis.”
Fernando Pessoa.

4 comentários:

Amanda Kie disse...

And she's so blue. =]

Karol Armstrong disse...

texto perfeitamente belo!!

Jonatas disse...

Ana aproveitava os carinhos do mundo
Os quatro elementos de tudo, deitada diante do mar, que apaixonado entregava as conchas mais belas, tesouros de barcos e velas que o tempo não deixou voltar.
Onde já se viu, o mar se apaixonar po uma menina?
Porquê que o mar não se apaixona por uma lagoa?
porque a gente nunca sabe de quem vai gostar.
Ana e o mar.
Mar-i-ana.

Karol Armstrong disse...

oie!!obrigada pelo comentário!!
^^
reli o sua ultima postagem (Fernando Pessoa)
e continuo a concordar e afirmar
que texto Belo!!
"perfeitamente belo"

bijuxx

^^
*